Cronicas Livres

Forum de RPG destinado aos mais diversos temas e cenarios
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 NightShade Bar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 111
Data de inscrição : 20/10/2016

MensagemAssunto: NightShade Bar   Qui Nov 10, 2016 7:47 pm

Principal refugio na noite da cidade. O nightshade é famoso por ser um ponto de encontro de mercenarios, runners e solos que buscam por informações ou serviços extra oficiais. Mas tambem é um lugar de diversão para todos aqueles que puderem pagar pelas suas bebidas e, dentre outras hospitalidades que o local oferece...

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://cronichles.forumeiros.com
Leo Rocha

avatar

Mensagens : 64
Data de inscrição : 21/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Sex Nov 11, 2016 10:04 pm

A música é alta e o ambiente escuro.
Kyo estava sentado em uma mesa no canto, tentando organizar suas próximas ações.
Seu terminal pessoal, dotado de uma ampla biblioteca em diversas mídias estava ligado e ele o usava para três ações diferentes: confirmar o desvio de créditos financeiros que ele realizara a partir do hackeamento de um terminal monetário há alguns minutos; terminar a leitura de um ensaio sobre a manipulação da nanotecnologia como potencial recurso para a cura de doenças feito por seu pai; buscar informações sobre possíveis locais para poder ficar durante um período.
Uma música começa a tocar ao fundo e ele a reconhece. Parece ser aquela banda Eletric Sheep... ou algo parecido... Ele acha o som interessante e se detém a ouvir alguns segundos.
Quando a garçonete se aproxima perguntando se ele quer beber ou comer mais alguma coisa, ele diz:

- Eu quero mais desta pasta protéica e outro drink desse.. Como se chama mesmo..

- Cherry.

- Não.. O drink...

- "Fora da redoma"

- Parece uma delícia.. Ah! E o drink também é bom! Quero outro!

A garçonete o olha como se estivesse avaliando a petulância do garoto. Em seguida dá um sorriso e se despede.
Kyo olha para o contador de tempo e abre outra janela no terminal, desta vez buscando informações sobre a banda.
Pelos seus cálculos, ninguém iria encrencar com o local onde estacionou sua atual residência. Isso era bom... Ele precisava de um tempo fora. Precisa sentir a cidade e beber um pouco de sua essência, ainda que isso lhe trouxesse uma baita ressaca.
Ele retoma então as atividades. Havia muito a fazer e ele precisava se manter em movimento.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nasinbene

avatar

Mensagens : 23
Data de inscrição : 23/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Sab Nov 12, 2016 11:27 pm

Aquela noite tinha sido definitivamente escrota... Tinha começado tranquila, como se nada demais fosse acontecer... Apenas uma escolta padrão marcada pela agencia, fazer a segurança de um jovem investidor. Aquele tipo bem conhecido, jovem, arrogante... aqueles que acham que, por terem herdado algum dinheiro e feito ele render são os donos do mundo. Sempre de cabelo e barba bem aparadas, boas roupas... Aquele tipo que acha que com uma boa conversa e alguns dólares podem conseguir qualquer coisa...
O evento da noite era uma festa, numa das mansões mais caras da cidade. O dono da festa, um alto figurão do governo... Os convidados não diziam exatamente quem era esse figurão, mas a julgar pelos presentes deveria ser alguém ligado ao governo central.
Como era de praxe, o tal figurão tinha contratado várias prostitutas mutantes para "entreter" os convidados. Terry não sabia explicar o por que, mas aparentemente com o dinheiro vinha um gosto exacerbado para o "exótico". Essas garotas mutantes eram capazes de satisfazer as mais bizarras fantasias de seus clientes... com o cliente de Terry não seria diferente....
O tal riquinho levou uma das garotas para o quarto, uma daquelas capazes de satisfazer um cara "efeminado", como de fato era o caso ali. Terry se posiciona da porta do quarto, esperando a hora de levar o rapaz de volta pra casa. O que o ex-policial não esperava era o grito de horror que parte do interior do quarto. Imediatamente, Terry arromba a porta, e para ao ver o rapaz nu, com uma garrafa quebrada na não e coberto de sangue. A garota, estava morta, além de qualquer ajuda naquele momento. Havia sangue nas paredes, na cama, no chão, no teto... O quarto naquele momento mais parecia um matadouro. Aparentemente, a jovem mutante tinha tentado satisfazer o rapaz da forma que ele queria, mas era macho demais pra admitir. Ofendido, o riquinho quebrou uma garrafa e rasgou uma artéria da garota... Não demora pra que comece a juntar gente, que são prontamente dispensadas pelos seguranças do tal figurão. Não fica bem ter um escândalo desses na sua festa...
As autoridades são chamadas e como não podia deixar de ser, todos ali são conduzidos à delegacia. Enquanto o riquinho prestava depoimento (e provavelmente subornava alguém pra se livrar da acusação de assassinato), Terry era obrigado a esperar, enquanto ouvia as gozações de um antigo colega de trabalho. Recostado ma velha máquina de café como costumava fazer, Terry tomava um café enquanto Bud Hill se aproxima batendo no ombro de Terry:

- Nunca pensei que eu viveria pra ver o velho Bulldog Spencer servindo de babá pra um desses Corps cuzões... qual foi o caso, Bulldog? O cara molhou a fralda e te pediu pra busca outra aqui?

- Vai à merda, Bud... ce sabe que tenho que fazer esses serviços de merda pra pagar as contas. Por que não leva esse seu traseiro gordo pra longe daqui?

- Aprenda a fica de boca fechada na próxima vida, Bulldog. Quem sabe ainda estivesse trabalhando aqui...

- Eu não tenho que ouvir essa merda...

Terry ia partir pra cima de Bud quando a porta da sala de depoimentos se abre e seu cliente sai dali, com um grande sorriso. Com um gesto de cabeça, ele faz sinal pra Terry pra irem embora. Aparentemente, tinha de fato conseguido se livrar da acusação. Nada muito dificil pra um Corp... Afinal, era só uma puta mutante que tinha morrido... Contrariado, Terry acompanha o cliente para fora enquanto escuta Bud lhe gritar...

- É isso aí, Bulldog, segue teu dono como o cachorrinho que é... quem sabe a gente termina esse nosso papinho mais tarde...

Terry então acompanha o Riquinho até sua cobertura, enquanto analisa em seu terminal portátil se seu dinheiro já havia sido depositado. Assim que deixa o cliente em segurança, Terry parte para o Nightshade... definitivamente precisava de uma bebida.
Terry ruma para o balcão, enquanto cumprimenta alguns dos frequentadores que conhecia. Quando se frequenta o mesmo lugar por muito tempo, não demora pra que conheça os vagabundos locais. Claro, sempre tinha algumas caras novas, como o garoto na mesa do fundo. Terry faz um sinal para Cherry, a garçonete que normalmente o atende e ela se aproxima com um sorriso:

- O de sempre, Terence? (Ela se recusava a chamá-lo de Terry... Achava que Terry e Cherry soava ridículo demais)

- Bota um duplo, boneca... a noite foi foda...

- Ora, esse é o de sempre... - ela completa piscando um olho

Não demora e Terry tem sua bebida em mãos, procurando fazer daquela noite apenas uma lembrança desagradável...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Caolha

avatar

Mensagens : 31
Data de inscrição : 02/11/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Dom Nov 13, 2016 9:42 pm

Uma figura vestida de preto dos pés a cabeça cruza a entrada do NightShade Bar. Vestia roupas pesadas, uma jaqueta de couro sobre outra com capuz que cobre seu rosto quase que completamente, calças jeans com alguns rasgos e coturnos. Pelas formas esguias do corpo, é possível notar que trata-se de uma mulher, . Bem como pela forma como ela caminha, os quadris se movimentando suavemente para um lado e para o outro a cada passada.

Ela caminha pelo bar até parar diante do balcão e finalmente tira o capuz do casaco, revelando os cabelos cor de rosa, chamativos. E além disso, uma atitude simpática, que definitivamente não condizia com o visual agressivo.
Angie era especialista em causar primeiras impressões erradas.

Ela sorri na direção da garçonete, e também para Terry, a quem ela servia um drink duplo, num rapido cumprimento - pela expressão, ele não estava tendo uma noite das melhores.

Logo Cherry vinha falar com ela. Angie parava por um minuto para prestar atenção no que ouvia e...





- Cherry! Vocês estão tocando minha música! Porra, isso é demais!! - a voz da garota de cabelos rosa era um pouco rouca, o que fazia com que ela se tornasse bem marcante. Obviamente na música em que ouviam no bar, isso era mais acentuado, agressivo.

Um dia desses ela havia dado ao pessoal do bar um drive com as músicas de sua banda. Angie ainda não acreditava no que acontecia com sua vida. Poder passar sua mensagem para tantas pessoas. Ser reconhecida na rua, essas coisas. Apesar de viver para cantar, ser o que ela gostava de fazer,  nunca imaginou que chegaria tão longe.

"...If you only want to live and die in a cage
There's panic and there's chaos rampant in the streets
Where useless thoughts of peace are met with rage"


Logo Cherry trazia um drink para Angie, que tinha uma coloração avermelhada e parecia ser muito doce. Além disso era decorado com um pequeno guarda chuva. A garçonete perguntava onde estava o resto da banda.

- Ah, ensaiamos o dia todo. Resolvi sair um pouco sozinha. - disse antes de dar um gole na bebida. - Bom, vou sentar em uma mesa, se ficar aqui não vou parar de falar, e não quero te atrapalhar.

Pegava o copo da bebida e ia até um canto onde tivesse uma mesa vazia. Puxava do bolso um pequeno notepad, onde haviam algumas anotações para letras de músicas. As sobrancelhas se franziam um pouco enquanto ela estava concentrada e fazia alguns ajustes.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Pedro Malasartes

avatar

Mensagens : 64
Data de inscrição : 25/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Dom Nov 13, 2016 11:01 pm

Serei sincero. Esse tipo de ambiente está longe de ser o meu predileto. Toda essa cacofonia de sons e ruídos é enlouquecedora. As luzes vibrantes de néon também são incômodas. Paz alguma será alcançada em um lugar assim. Até mesmo os espíritos são perturbados pelo desequilíbrio gerado aqui. Sei do que estou falando. Ouvir o clamor do além está dentro de minhas capacidades. Mas, cara, se você conversar com as pessoas certas, dá pra descolar ervas muitíssimo boas aqui.
Infelizmente, os frequentadores do Nightshade não são capazes de compreender o verdadeiro potencial dos catalisadores da percepção. Eles utilizam aditivos naturais como válvula de escape. Não buscam esclarecimento, mas sim fuga. Jamais abrirão as portas da percepção. E a maioria prefere substâncias sintéticas altamente tóxicas e viciantes. Algumas dessas frágeis mentes pensam fielmente que estão se rebelando contra o domínio do sistema. Na verdade, só estão se tornando inertes demais para fazer algo a respeito.
É por essas razões que as portas da percepção ficam normalmente semicerradas. Porque nem todos estão prontos para encarar o que está do outro lado. Essa limitação existe para a nossa própria proteção. Veja só esses indivíduos! Estão todos distraídos com a enxurrada de estímulos desnecessários para a sobrevivência fornecidos pelo ambiente. Tantos sons e cores! Acreditar que eles sejam capazes de filtrar essas informações seria muita ingenuidade.
Mas não é por isto que estou aqui. Não esta noite. Todos sabem que o Nightshade é frequentado pelos runners mais requisitados da cidade. E ninguém conhece melhor os segredos dos bastidores das corporações do que atravessadores e mercenários. Com meus amplificadores auditivos escutar conversas alheias é uma tarefa simples. Talvez eu descubra algo comprometedor sobre a Valentine. Uma mera pista sobre os projetos recentes da companhia já seria suficiente. Seria um belo prêmio de consolação para uma noite tão desagradável.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 111
Data de inscrição : 20/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Qua Nov 16, 2016 6:05 pm

Estava começando a anoitecer em NightCity e Cherry sabia que em alguns minutos o bar começaria a receber movimento...Algumas coisas nunca mudavam, quando a hora do expediente acabava, a maioria das pessoas procuravam um lugar para afogar as magoas, beber, papear ou até mesmo passar o tempo... e nada melhor do que o Nightshade Bar para isso... Na Jukebox de modelo antigo, Cherry coloca o som da Banda Eletric Sheep... logo o som ambiente se espalha e a musica embala o inicio da noite na cidade. Uma musica com um ritmo compassado ora leve, ora pesado, de cunho social. Eletric Sheep... nome estranho esse - pensava Cherry enquanto ia ao encontro do primeiro cliente da noite.

Kyo

Fora da Redoma. Ok anotado. Cherry marcava o pedido na comanda eletronica mas mesmo assim gritou ao chefe o pedido. Era um costume, a garota parecia gostar de ouvir a propria voz.

RATZ!! Um fora da redoma no capricho pro garoto aqui. Ratz era o dono do Bar... um velho russo barbudo de cabelos grisalhos com uma protese biônica no lugar do braço esquerdo. Minutos depois, Cherry traz o drink ao garoto que parecia inerte ao olhar seu terminal...

Kyo vasculhava na rede coisas do seu interesse... Enquanto percebia por cima a entrada de varias outras figuras comuns da noite de NightCity... Seu terminal acusa que varios aparelhos se conectaram a internet ali no local. Kyo seria curioso a ponto de querer investigar o que as pessoas estavam procurando na rede?

Terry

Noite dificil grandao? Perguntou Cherry no momento em que Bulldog pediu o duplo. Ele apenas meneou a cabeça dizendo sim e ela prontamente trouxe sua dose O primeiro é por conta da casa dando uma piscadinha... Ratz ao fundo deu apenas uma raspada na garganta mostrando que não tinha ficado contente com o "brinde" da bartender, mas Cherry nem ligou. Terry era cliente antigo e sempre foi um cara legal apesar de carrancudo... Como ele nao estava muito afim de conversa, Cherry ligou a TV para que Terence pudesse ver o futebol....

Minutos depois, Terry recebe uma chamada holografica.... um display virtual se abriu diante dele graças a seu olho bionico e não se surpreende ao ver a cara de Bud novamente...

-E ai Terry, mais tranquilo agora? Cara você precisa passar por terapia. Esse seu nervosismo cronico vai te matar. Mas ainda sou seu amigo/inimigo. To indo agora investigar um assassinato suspeito aqui no centro envolvendo extrações de orgãos. O delegado disse pra eu dar baixa como resgate de orgãos por não pagamento mas eu vou fazer que nem você. Vou dar seguimento na investigação, se fosse coisa daqueles reppositores, eles teriam feito um trabalho mais limpo, e não essa lambança que to vendo aqui. E ai, ta afim de investigar em dupla pelos velhos tempos? Se sim te mando a localização no seu GPS.

Bud desliga e o holo a frente de Terry se fecha fazendo com que ele veja somente o ambiente do bar e o jogo na TV.

Angie

Que nada miggs, sua loca. Para... Fica ai, conversa comigo. O grandalhão ali não está me dando bola. Hey será que posso te ajudar com essa musica que você esta escrevendo? Dizia Cherry empolgada enquanto via Angie escrever a musica fazendo os arranjos necessários. Mas Cherry Não teve muito tempo já que a porta do bar abriu fazendo o som caracteristico de mais um cliente entrando e bartender teve que deixar a campainha da cantora para atender mais um de seus clientes.
Entre um arranjo e outro, Angie sentia que quase estava prestes a terminar um mais novo Hit para a banda.... Embalada pelo som da sua propria musica e pelo alcool adocicado daquele drink especial, Angela estava para dar o desfecho quando seu smartphone começa a tocar... Era Rufus, o baixista da banda...

Angie... mas noticias. Barry chapou de novo. Overdose brava... Não sei se ele escapa agora não. Justo agora que tinhamos uma agenda fechada pra esse mês. Saco. To aqui no STs George. Se der pra você vir pra cá eu agradeço...

Barry era o bateirista da Eletric Sheep... E se Rufus tinha ligado, era porque a casa tinha caido. O hospital não ficava muito longe do centro caso Angie decidisse ir ao encontro de Rufus.

Strong Root

Strong Root entra no Bar e é recebido por uma cacofonia de sons e cores... E isso não lhe agrada, alias nada o agrada ali. Nem o local nem as pessoas... nem mesmo a atendente simpática que vem ao seu encontro oferecer um holocardapio somente para ser ignorada. Strong Root procura outra coisa... Seus ouvidos e sua percepção estão afinados e antenados naquilo que não se pode ouvir, ver ou sentir de maneira comum... Então em silencio Strong Root se concentra, buscando ouvir ruidos uteis naquele mar de barulhos sem sentido....Seu ouvido então capta ondas sonoras interessantes ... uma ligação.


OFF: Leo, se quiser fazer um teste de Hacker para quebrar os IPs da maquinas que estão online no bar e xeretar as conversas, faça um teste de Hack normal. Jogue 1d100 e se o resultado for menor ou igual ao seu valor Hacker você teve sucesso.
Pedro, Faça um teste de Percepção mais o bonus que seu amplificador auditivo lhe dá. Seu teste normal de Percepção é 56. Role 1d100
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://cronichles.forumeiros.com
Caolha

avatar

Mensagens : 31
Data de inscrição : 02/11/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Qua Nov 16, 2016 10:26 pm

Angie ria com a resposta de Cherry, dando de ombros antes de sentar novamente numa cadeira no balcão. A garçonete parecia interessada em suas anotações, Angie então esticava o notepad para que ela visse o que escrevia.

- Claro, Cherry! Você às vezes não sente vontade de mudar tudo que parece errado no mundo? Compor pra mim é isso. Não só apontar tudo o que está errado, mas saber que podemos nos unir e fazer diferente, sabe? Ah...
- Cherry não tinha tempo para seguir ouvido a conversa de Angie, tinha mais clientes chegando. Ei, eu falei que ia te atrapalhar. Dando um leve sorriso pra ela e uma encolhida de ombros.

Focava-se então novamente na letra que escrevia e no drink que tinha diante de si, bebendo de vez em quando, o álcool quase não podia ser sentido em meio a tanto açúcar, mas estava lá, fazendo com que ela se sentisse levemente eufórica, e progredisse bastante na composição.

Foi quando recebeu aquela ligação de Rufus, que a deixou bem preocupada.

- Mas que porra... Eu tô no NightShade, já vou até aí te encontrar.

Logo Angie chamava Cherry, dizia que precisava ir, agradecia e pagava pela bebida.

- E diz pro Ratz que depois quero conversar com ele pra marcar um show do Electric Sheep aqui no bar.
- se despedia da garçonete lançando um beijo no ar na direção dela, e sorrindo.

Ao sair do NightShade, Angie puxava o capuz novamente, cobrindo os cabelos cor de rosa. Se misturando as outras pessoas daquela cidade cinzenta. Dava um leve suspiro. Porra, pensei que ao menos essa noite eu iria me divertir.

As paredes aconchegantes davam lugar ao vento frio que vinha da rua, juntamente com as luzes brilhantes dos letreiros de neon da cidade, que contrastavam com o céu nublado daquela noite. Quem eu estou querendo enganar, com toda aquela poluição, todas as noites eram nubladas assim.

Com as mãos nos bolsos da jaqueta, o que além de conferir uma pose badass ainda deixava o soco inglês em lugar de fácil alcance, Angie caminhava ligeiramente rápido. Queria chegar na droga do hospital logo.

Caralho, tomara que o Barry fique bem.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 111
Data de inscrição : 20/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Sex Nov 18, 2016 6:13 pm

Fora do Nighshade Bar - Angie

Angie caminhava as pressas em direção ao hospital Sts George, perdida na multidão das ruas, a vocalista colocou as mãos nos bolsos da jaqueta e se cobriu com o capuz da blusa. Estava começado a esfriar já... Caminhando pelas ruas, Angie observava o reflexo das luzes de neon sob o céu envolto de densas nuvens escuras, causando um sentimento melancólico na cidade. O burburinho das pessoas conversando enquanto caminhavam e o som dos automóveis elétricos causavam uma cacofonia claustrofóbica do qual Angie estava muito acostumada já. Essa era a vida agitada e veloz de quem vivia na cidade... Mas era melhor assim, afinal ninguém sabia o que acontecia fora da redoma que perimetrava a cidade, e não seria ela que iria descobrir...

Angie levanta seus olhos acima do seu angulo de visão. Era possivel ver o holoplaca indicando a localização do hospital. Bastava ela virar a esquerda na proxima quadra e seguir por mais uns 250 metros. Apressada, Angie decidiu pegar um atalho cortando o caminho por uma pequena viela que ficava atrás de um restaurante chinês. O cheiro de curry e lamen condimentados deu um embrulho de fome em seu estomago. Quando estava prestes a sair da viela e tomar o caminho em direção ao hospital, Angie foi abordada por um estranho...

Paga o pedagio gatinha. Ou acha que pode cortar o caminho assim numa boa ?

Angie olhou para a figura a sua frente. Era um homem alto que vestia roupas de Hockey. Calçava patins e estava com um taco nas mãos. Angie olhou para o lado e viu uma pequena quadra de Hockey mais a frente onde mais dois caras vestidos como o primeiro se aproximaram dela a cercando..


Esse caminho faz parte dos Hockeyblades... ou você paga ou a gente dá um jeito de pagar. Disse ele encostando o taco nas coxas de Angie..

Dentro do Nightshade - Kyo e Strong Root


Kyo tentava entender porque o seu terminal havia dado pau daquele jeito. Uma tarefa tão simples e costumeira para ele havia acabado de se tornas desastrosa... Ele tentou Hackear os aparelhos online que estavam sendo usados no bar mas foi infectado por um virus na rede que acabou por fazer seu terminal inoperante... Talvez houvesse algum hacker sacana dentro do bar que fora mais esperto que ele ou o Bar tinha contramedidas bem efetivas contra invasão. Poderia até ser o baque do drink fora da redoma que o deixou de barato e com isso, o adolescente não pode ser "esperto" o suficiente... Seja como for, era preciso procurar algo a se fazer agora, uma vez que o seu terminal ficaria inoperante por pelo menos meia hora... tempo que seria necessario para que o terminal de Kyo pudesse reiniciar normalmente...

Strong Root se concentrou e graças a seus implantes auditivos pode ouvir varias conversas... A maioria delas eram bastante desinteressantes. Mas uma delas o chamou a atenção. Um detetive de policia conversava com seu ex parceiro que estava sentado no balcão do bar iria iniciar uma investigação sobre uma serie de assassinatos misteriosos onde as vitimas tinham parte de seus orgãos internos extraidos de maneira brutal.... Ouviu tambem a conversa da garota de cabelos rosas sobre o estado de seu amigo que acabara de sofrer uma overdose e estava indo a direção do Hospital Central...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://cronichles.forumeiros.com
Leo Rocha

avatar

Mensagens : 64
Data de inscrição : 21/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Sex Nov 18, 2016 10:01 pm

Cherry segue para buscar o drink, enquanto Kyo continua lendo as diversas páginas abertas no seu terminal. O artigo sobre nanotecnologia era de 15 anos atrás, mas era interessante por apontar tendências referentes à aplicação dessa tecnologia em saúde. Tendências que ficariam pra trás por conta da ausência de experiências exitosas... A única que Kyo conhecia estava sentada lendo aquele terminal.
O levantamento da área mostrava alguns pontos perigosos para incautos passearem, além de pontos onde ele poderia encontrar alguns serviços essenciais, como peças, medicamentos, mão de obra discreta...
Quando estava terminando de ler o profile da banda que tocava, ele percebe a chegada da garota. Ele se detém um pouco olhando pra ela e quando a garota tira o capuz, ele ele olha para a foto no terminal e para ela de novo, dizendo:

Arrow De todos os bares em todo esse mundo, ela tinha que entrar justo nesse...

Um sorriso apareceu em seus lábios, por conta da ironia e ele se deteve analisando um pouco mais os clientes que chegavam. Viu o homem com cara de poucos amigos, que se sentou perto da garota e puxou papo Cherry, viu um casal animado que se dirigiu a uma mesa no canto com claras segundas intenções, viu o homem de rastafari que parecia estar viajando longe dali quando entrou no local.

Essas figuras o deixaram curioso e ele resolveu exercitar seus dotes de hacker, quebrando a rede de segurança do local. Nesse momento Cherry chega com seus segundo drink. Ele agradece sorrindo e a deixa continuar o trabalho.

O drink era realmente bom, mas também era forte e, na quantidade tomada por Kyo, acabou fazendo com que ele se tornasse descuidado demais. Ele não sabe se foi um comando errado ou a eficiência do sistema de segurança do lugar, mas quando estava prestes a quebrar o código, recebeu a seguinte mensagem:



Em seguida apareceu a seguinte mensagem:



De repente, o terminal de Kyo começou a travar. Ele tinha pouco tempo pra rodar suas contramedidas e assim o fez. No entanto, para que o terminal estivesse limpo novamente, ele teria que aguardar a eternidade de, pelo menos, meia hora...
Ansioso, ele olha para os lados buscando alguma distração, quando se depara com o final da conversa da ruiva. Ela parecia preocupada com um amigo e iria a pé dali até o hospital (sorte ela ter sentado no fundo, perto dele..). Lembrando que o caminho mais curto até lá estava na listagem de áreas perigosas, Kyo se levantou rapidamente, quitando os créditos referentes à bebida e seguiu a garota.
Quando a alcançou, viu que ela estava prestes a ser cercada por três idiotas vestidos de forma mais idiota ainda... Ele então se aproxima dizendo:

Arrow Sun Tzu disse: "Quando o comandante demonstrar fraqueza, não tiver autoridade, suas ordens não forem claras e seus oficiais e tropas forem indisciplinados, o resultado será o caos e a desorganização absoluta". Me desculpa a intromissão, mas você parece só um valentão inseguro e sem nenhuma certeza do que está fazendo. Talvez seja uma boa deixar a garota seguir o caminho dela e ir beber uns drinks com seus amigos. Tem um bar ótimo lá atrás. Bebam o "fora da redoma".

Eles eram três. Kyo era um. E a garota... Bem, ela era interessante e precisava de ajuda.

Ele ficaria atento aos três e diria para a garota:

Arrow Seja rápido como um trovão que retumba antes que se tenha podido tapar os ouvidos e veloz como o relâmpago que brilha antes de ter podido piscar.

No final uma piscadinha, antes de seu corpo ser revestido pelos nanorobôs.

Arrow Bom, eu tenho meia hora, mas não pretendo gastar esse tempo todo com vocês...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nasinbene

avatar

Mensagens : 23
Data de inscrição : 23/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Sab Nov 19, 2016 12:00 am

Terry estava no meio do seu drink quando a holochamada de Bud o arrasta de volta à toda aquela miséria e sujeira que havia mundo afora. Ao que parecia, alguém estava matando ciborgues e roubando deles seus biônicos. Bud parecia ter quase certeza de que não eram repositores buscando reaver mercadorias que não foram pagas. Isso era mais comum do que se pensava... O sujeito sofria alguma amputação, se lesionava de alguma forma e ia atrás de uma das inúmeras clínicas de implantes existentes por aí. O que as propagandas de tv não falavam é que o custo para fazer a manutenção de seus biônicos não era barata. Não que as peças fossem caras... a mão de obra era o que (muitas veze literalmente) quebrava as pernas do ciborgues. Terry tinha tido sorte nesse quesito. Não que tivesse uma renda mensal muito ostensiva, mas tinha aprendido a reparar os próprio biônicos. E isso evitava que tivesse gastos com esse tipo de coisa. Os outros pobres diabos não tinham a mesma sorte... Quem não pagava era perseguido pelos abutres conhecidos como repositores e tinham seus membros arrancados sem cerimônia. Isso tudo com total amparo legal.
No caso que Bud tinha investigado, chamava a atenção a suposta bagunça feita por esses repositores, algo que não era usual. Esses caras normalmente eram os próprios médicos e enfermeiros das clínicas, que tinham todo o cuidado pra não danificar as peças. Com precisão cirúrgica. Não era o que tinha visto na holochamada de Bud. E tinha outro detalhe: Bud podia ser um maldito balofo mau caráter, mas tinha bons instintos. Se esse cara tinha resolvido investigar por conta própria, havia algo a mais ali. Quando a chamada termina, Terry suspira e olha para a tv... o jogo que Cherry tinha posto na tv estava longe de ser interessante. Terry então pega seu micro terminal e envia uma mensagem curta para Bud: "Envie de uma vez a maldita localização".
Não demora pra que seu GPS receba o endereço, que imediatamente Terry transmite para o olho biônico. A rota se traça em seu olho, sobrepondo-se sobre as imagens da rua captadas por seu olho "normal". Terry mata o drink com um único gole e acena para Ratz. Em seguida se aproxima de Cherry e diz:

- Valeu pelo drink, gata... Surgiu uma coisa que preciso investigar, coisa de ex-cana. Assim que eu resolver isso, volto aqui e pago o próximo, ok?

Terry então ajeita seu casaco e ruma em direção à porta pensando em duas coisas: o quanto adoraria arrebentar a cara gorda de Bud e o quanto o cretino iria subir na hierarquia da polícia quando o ajudasse a resolver esse caso...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Pedro Malasartes

avatar

Mensagens : 64
Data de inscrição : 25/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Seg Nov 21, 2016 8:41 pm

A noite não foi proveitosa. Não notei nenhum atravessador ou mercenário no bar. Pelo menos, nenhum que fosse óbvio. Apenas os típicos frequentadores estavam presentes.
As conversas mais interessantes que eu fui capaz de captar com meus amplificadores auditivos foram sobre uma overdose e outra sobre um extrator de órgãos serial. Embora me cause tristeza saber que um jovem sucumbiu as pragas da Babilônia, salvar sua alma está fora do meu alcance. E quanto as extrações ilegais de órgãos, pelo que os policiais comentaram, isto não tem relação com atividade corporativa, já que os métodos utilizados foram rústicos demais. Portanto, nenhuma das duas conversas é do meu interesse. Só estou nessa cidade para combater a exploração das megacorporações. Qualquer distração me aproximaria da Babilônia.
Então paguei a conta e retornei para a Cidade Baixa. Lá eu reencontraria o povo que adotei como meu. Desde que cheguei na Cidade Baixa, eu me deparei com um sofrimento familiar, facilmente reconhecível. Mesmo em Night City, o povo sofre. Como minha família sofreu em Gana. Mitigar tal dor é uma tarefa que infelizmente não está entre os meus poderes. Mas com a queda da Valentine, talvez as coisas mudem. Ainda que a cidade perca estabilidade, ao menos os cidadãos terão liberdade para construir um novo futuro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Caolha

avatar

Mensagens : 31
Data de inscrição : 02/11/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Seg Nov 21, 2016 10:12 pm

Andar pelas ruas daquela forma, fazia Angie passar despercebida por todos. Coisa que normalmente não acontecia, devido ao tom incomum de seus cabelos.

Mas ela seguia, se misturando com a multidão. No caminho, as coisas ficavam um pouco mais sinistras, conforme ela passava por uma viela que tinha cheiro de comida chinesa. Espera, comida chinesa VELHA. Ew.

Um sujeito com uma roupa ridícula a parava, dizendo que tinha que pagar pedágio.

Angie apenas dava uma risada debochada enquanto encarava o sujeito. O que ele estava pensando?

Foi quando ela viu os outros se aproximando. Aí já era covardia.

Para o azar dela, ele não estava sozinho. A garota deu uma leve recuada quando ele encostou o taco em suas coxas. Eles a cercavam.

Bom, dessa vez talvez ela estivesse ferrada.

Porque eu tenho que dizer, Angie não era o tipo de garota que era totalmente indefesa. Mas lutar contra três parecia meio impossível.

Foi quando o rapaz se aproximou deles, citando Sun Tzu. Angie olhava para ele meio surpresa... Ele disse bar? Aquele rosto não era estranho, ele estava no Nightshade? Aliás, ele tinha idade pra beber??

De qualquer jeito, o jovem parecia comprar a briga dela.

Angie permanecia na mesma posição em que fora parada pelos sujeitos, com as mãos nos bolsos da jaqueta. Um deles bem próximo a ela.

- Sua roupa só não é mais ridícula que o nome Hockeyblades . - num movimento rápido, a garota puxava de dentro do bolso um spray de tinta preta, uma das definições de noite divertida para Angie era aquela em que ela conseguia deixar o símbolo da Electric Sheep em alguns pontos estratégicos da cidade e sair sem ser presa.

Mas agora aquilo tinha outra utilidade, cegar o imbecil vestido de jogador de Hockey que estava mais perto dela. Aproveitando-se do momento em que provavelmente ele gritaria de dor ao sentir a tinta arder em seus olhos, Angie chutaria suas partes mais sensíveis com força.

Ao que em seguida, já puxava o soco inglês e se preparava para ir pra cima dele novamente.

- Seu desgraçado filho da puta!! - o pior era que ela parecia estar se divertindo com aquela briga. Não parecia mais a garota meiga do bar, sendo simpática com todos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 111
Data de inscrição : 20/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Ter Nov 22, 2016 6:26 pm

COMBATE

Ordem de combate: Renata, Leo, Hockey1, Hockey2, Hockey3

Oponentes: Briga30/30
PVs: 6


Renata escolha seu alvo faça uma rolagem de 1d100, se seu teste for menor que 65 você acerta seu oponente causando dano de 3 pontos.
Leo escolha seu alvo  Faça uma rolagem de 1d100, se seu teste for menor 80 você acerta seu oponente causando 5 pontos de dano.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://cronichles.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 111
Data de inscrição : 20/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Qua Nov 23, 2016 9:07 am

Resolução Turno 1

- Angie avança na tentativa de desferir um soco, mas ao acertar o oponente seu punho se abre causando extrema dor e sofrendo um redutor de - 10% nos ataques até o fim da rodada

- Kyo desfere um soco no oponente que estava próximo de Angie, causando 3 pontos de dano.

- O oponente um aproveita da situação e atinge o taco contra Angie, causando 1 pv de dano

- O segundo Hockeyblade atinge Kyo com uma pancada, mas seu IP absorve todo o dano.

- O terceiro Hockeyblade se afasta alguns metros dali deslizando sobre seu patins... ele dá meia volta avançando com o taco em riste para fazer um ataque carregado ( Perdeu o turno, irá atacar com força maxima no fim do turno 2)

Turno 2

Leo e Renata refaçam suas rolagens.... Personagem da Re agora tem um redutor de - 10 no ataque ( Falha critica, sorry.)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://cronichles.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 111
Data de inscrição : 20/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Qua Nov 23, 2016 5:49 pm

Terry

Sem delongas, Terry caminhou para fora do bar com a promessa que voltaria em breve. O sinal de GPS que marcava a localização de Hill estava ligado... A distancia marcava 600 metros a leste do Bar... O olho biônico do ex policial localizou as proximidades. Bud estava perto da estação de metrô que ligava o centro a cidade baixa.

Minutos depois, Terry chega no local e já ve diversas faixas holograficas da policia perimetrando o local. As faixas tinham os dizeres "Não se aproxime, area isolada" e causava choques a quem se ousasse a se atravessar. No momento em que Bud viu Terry chegando ele foi em direção do ex parceiro de policia dizendo...


Aguarde um minuto Terry... Vou liberar a passagem pra você. Através de um comando vocal, Bud permitiu a passagem de Terry para a cena do crime. Enquanto caminhavam até o corpo da vitima, Bud conversa com o "amigo"

Estou atrapalhando sua noite, Buldogue? Disse Hill com um sorriso sacana no rosto Fala a verdade, você sente saudade dos casos loucos que a gente já investigou né.

Os dois então chegam ao local onde tá o corpo da vitima. Bud puxa o lençol que encobria o corpo... ou o que sobrou dele. O peito da vitima estava aberto com as costelas serradas, os olhos da vitima tinham sido arrancados sobrando apenas fios conectores no local onde deveria estar nervos oticos. O coração e um dos pulmões tambem estavam ausentes... Logo de cara, Terry ja percebeu que os orgãos naturais estavam ali intactos, mas os orgãos ciberneticos foram arrancados brutalmente, como se tivessem sido devorados.... Antes que pudesse dizer alguma coisa, Bud através de um cpu portatil em seu pulso passou o perfil da vitima.

Um holograma se desenhou em pleno ar dando as características. Paul Bronco Jones, ex jogador de futebol americano, 44 anos. Tinha se aposentado há dois anos e devido as complicações do esporte usava orgãos ciberneticos como olho, coração e um dos pulmões, esse ultimo tendo sido "transplantado" por estar com enfisema avançado pelo vicio em cigarro. Separado, não possuia antecedentes criminais grandes. Apenas porte ilegal de drogas e algumas agressões.

Este é o nosso amigo morto - disse Bud. Lembra dele? O cara jogava bem pra caramba, e tinha até uma aposentadoria mais ou menos. O que será que ele fazia aqui, na estação?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://cronichles.forumeiros.com
Leo Rocha

avatar

Mensagens : 64
Data de inscrição : 21/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Qua Nov 23, 2016 9:02 pm

Kyo fica admirado com a coragem da garota, tanto quanto fica com pena dela ao ouvir o barulho característico de um soco mal dado.
Ele então se lança entre ela e o líder dos mascarados, acertando-o com força. Em seguida, ele se vira pra garota:

Arrow Desculpa se eu não fui muito claro naquela hora, mas eu disse pra você correr...


Nessa hora o segundo bandido o acerta. Ele olha para o que restou do taco e apenas mexe a cabeça em sinal de "não".
Em seguida, ele tenta um upercut com a direita no bandido que o acertou, enquanto diz à garota:

Arrow Talvez se você usar o taco do babaca número 1, você consiga se machucar menos...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Caolha

avatar

Mensagens : 31
Data de inscrição : 02/11/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Qua Nov 23, 2016 9:36 pm

Batia no infeliz e ouvia o som característico de um soco que deu muito errado.

- PORRA!

Além é claro, da dor, que vinha em seguida e fazia com que Angie gritasse o palavrão.

O jovem se colocava entre ela e o imbecil que tentara socar. Porra Angie, não precisava bater igual a uma menininha.

- Ahn? Correr? Desculpa, aquele soco foi ridículo, mas fugir não é algo que está em questão. - tirava uma mecha do cabelo rosa que caía na frente do rosto, enquanto analisava o imbecil caído.
 
Olhava para o taco quando o jovem oriental dizia para tentar bater com ele.

- Certo, eu pego isso do filho da puta número 1... e tento parar o filho da puta número 3.


Segurava o taco com ambas as mãos, se colocando na frente do sujeito que vinha como um trem desgovernado na direção deles. Na altura do peito, tentaria pará-lo antes que pudesse atacar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 111
Data de inscrição : 20/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Qui Nov 24, 2016 9:16 pm

Resolução turno 2:

Angie acerta o hockeyblade enquanto ele vinha a toda. A pancada do taco o desequilibra fazendo o cair com tudo no chão desacordado.

Kyo desferw um soco no seu oponente mas esse sai da linha de ataque e contra golpeando o rapaz na altura do peito somente para ter os dedos das mãos serem quebrados devido a rigidez do metal que o protegia....

Assustados com seus oponentes, os hockeyblades restantes começam então a fugir e abandonar a luta....

Off: se os jogadores quiserem rolarem os dados mais uma vez para atacar podem fazer normalmente... Caso contrário os hockeys fugirão
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://cronichles.forumeiros.com
Leo Rocha

avatar

Mensagens : 64
Data de inscrição : 21/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Dom Nov 27, 2016 9:50 am

Os oponentes começam a fugir. Kyo pensa em segui-los e finalizar a lição para que eles não ataquem mais ninguém, porém percebe que não valeria tanto a pena..
Com um comando mental, ele faz sua cobertura de nanometal reverter, assumindo mais uma vez o aspecto de um garoto comum de sua idade. Ele estende a mão pra garota e diz:

Arrow Kyo Asaki.

Em seguida, ele percebe que estendera a mão similar à que a garota machucou na luta. Ele então dá um sorriso sem graça e diz:

Arrow Desculpa... Aí, você escolheu um caminho bem perigoso pra seguir, hein.. Esse trecho daqui até o hospital, apesar de ser a rota mais rápida, é também meio zicado... Digamos que com a menor segurança possível. Se você tiver mais um tempo, acho que vale a pena dar a volta e seguir pela terceira à esquerda e depois a segunda à direita.

Ele se toca por um minuto que falou demais. E se ela considerar que ele é um stalker? Mais um maluco a fim de atacá-la?

Arrow Ó! Só pra avisar, eu te ouvi falando no bar, mas não sou um perseguidor.. Eu não sou um desses caras que seguem meninas bonitas pra... Quer dizer, você é bonita... E eu tecnicamente te segui ao ouvir que você ia pegar o caminho difícil, mas... Mas eu só fiz isso porque sabia que ia rolar alguma coisa tipo isso...

Ele pára para respirar e em seguida abre um sorriso desajeitado:

Arrow Bom, eu acho que já vou indo... Eu só queria dizer que a sua música é legal. Valeu.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Caolha

avatar

Mensagens : 31
Data de inscrição : 02/11/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Dom Nov 27, 2016 8:17 pm

Angie não fazia a menor questão de seguir os imbecis que fugiam.

Afinal, tinha um amigo para socorrer no hospital. E era mais importante que terminar de bater naqueles idiotas.

Logo o rapaz que ajudara se apresentava, Angie abaixava o capuz que cobria seus cabelos e dava um sorriso ao notar que ele estava meio sem jeito, porque tinha estendido a mão para cumprimentá-la, e o estado da mão da garota no momento não era dos melhores. Ela segurava a própria mão, massageando os nós dos dedos.


- Tudo bem, estou indo para o hospital pelo menos, já posso cuidar da mão lá. Meu nome é Angela Gibson, mas pode me chamar de Angie.

Não perguntava, ou ao menos não pedia maiores explicações sobre como ele sabia que ela estava indo até o hospital. Ele se explicava, meio atrapalhado, ainda assim.

- Obrigada. Não sei o que aconteceria se você não estivesse aqui.

Se aproximava do garoto e lhe dava um beijo na bochecha. Ele falava da música, o que fazia ela abrir um sorriso maior ainda.

Angie puxava o smartphone do bolso da jaqueta, vendo que horas eram.

- Eu preciso ir... obrigada de novo. Me dá seu número? No nosso próximo show, você é um convidado especial.


Salvaria o número caso ele falasse, e então seguiria até o hospital.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nasinbene

avatar

Mensagens : 23
Data de inscrição : 23/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Dom Nov 27, 2016 10:58 pm

Terry sai do Nightshade e ruma para o leste, posição que GPS sobre seu olho bionico indicava. Já era noite alta e apesar do ambiente climatizado dentro da cúpula, Terra podia jurar que sentia o frio de uma fina garoa caindo sobre ele. Muito provavelmente não passava de uma impressão sua... mesmo assim, instintivamente, o Bulldog Spencer levanta a gola do casaco sobre o pescoço e jura a si mesmo que assim que sobrar uma grana mandaria instalar uns isolantes térmicos no corpo...
Quando vira a esquina que leva à estação de metrô,Terry já ve a movimentação anormal. Afinal, por mais comum que fossem as extrações legais, sempre gerava um certo clima de apreensão.Afinal, sabe-se lá quando a grana vai acabar e você vai ser o próximo na ponta do bisturi...
A medida que Terry se aproxima, as pessoas vão abrindo passagem, mesmo que ele não diga nada. Pelo jeito,sua velha "aura" de cana ainda o acompanhava. Ninguém quer ter problemas com os canas e por isso o evitavam. Isso era uma das poucas coisas boas em ter sido um policial...
Terry desce os degraus que levam à estação e pode ver Bud ao longe. Assim que o ve, Bud desativa as faixas holográficas e sauda Terry da sua maneira detestável de sempre. Terry mostra o dedo do meio pro amigo e responde:

- Se você sente saudades daquela merda toda você é mais doente do que eu pensava, Bud... agora, faz alguma coisa útil e me passa a ficha do defunto aqui...

Bud então passa aquilo que sabia do defunto... um antigo jogador de futebol, Terry se lembrava bem dele... tinha ganhado uma grana apostando nos jogos em que esse cara tinha participado. Enquanto Bud matraqueava, Terry fecha seu olho natural e a aciona o bionico... rodaria um scaneamento completo, usando os teleoptics do olho. Se havia algo além do que viam ali, seu olho mostraria. Enquanto escaneava, ele diz a Bud:

- Temos acesso às últimas ligações do cara, Bud? E as câmeras de segurança, mostram o que?

Aquilo era o procedimento padrão naquele tipo de situação.O problema é que Bud sempre fora preguiçoso demais pra pensar sozinho. Era possível que ele nem tivesse levantado essas informações ainda e isso lhes daria algo pra começar a investigar...

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 111
Data de inscrição : 20/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Ter Nov 29, 2016 5:14 pm

Kyo e Angie

A dupla recem formada conseguem assustar os HockeyBlades fazendo-os fugir. A aliança entre os dois estranhos da mesma maneira que fora formada, acaba de se desfazer assim que a ameaça termina.... Os dois trocam numeros de telefones. Angie seguia para o hospital para ver um amigo enquanto que Kyo não tinha um rumo certo... pelo menos não agora.

Off: Leo, siga para o Centro Comercial. Renata vou abrir o topico do Hospital para você postar la, aguarde.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://cronichles.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 111
Data de inscrição : 20/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Qua Nov 30, 2016 6:42 pm

Terry
O olho bionico de Terry dividiu a cena do crime em diversos quadrantes. Isolou a area e eliminou a poluição que o ambiente estava causando no campo de visão do ex policial.

O olho detectou uma impressão digital próxima ao colarinho da jaqueta de Paul. Digital essa incompatível com a da vitima e a unica da cena do crime que merecia atenção. Como seu olho não possuía conexão com a rede, era impossivel para Terry fazer uma busca de digital sem acessar um computador com acesso a rede ou um terminal. Mudando para outro espectro, o olho Bionico pode notar um pequeno fio de liquido viscoso se formar ao lado do corpo da vitima e perdendo o rastro uns 45 centimetros longe do corpo da vitima. Terry abaixou proximo a esse liquido viscoso e o analizou com o dedo, tentou sentir o cheiro mas o liquido não tinha cheiro algum, e sua viscosidade era bem suave... parecia algum tipo de oleo, ou plasma... Terry não conseguia decifrar com precisão...

Bud chega com informações que Terry havia pedido. As ligações do Smartphone da vitima eram irrelevantes, só tinha ligações para prostitutas e para a casa da mesma. Pegando um terminal portatil da policia, Bud com a ajuda dos Netrunners a serviço da delegacia conseguem quebrar a segurança da camera de vigilancia obtendo acesso as suas imagens. No video de apenas vinte minutos os dois podem ver a vitima bastante nervosa proxima ao local onde morrera, ela andava pra la e pra cá enquanto transeuntes seguiam caminho em direção a estação. Um desses transeuntes que aparecem no video, caminhava a passos cambaleantes como se estivesse doente e ele cai proximo a rua. Paul, a vitima vai em sua direção e ajuda a levanta-lo. A pessoa segura a vitima pelo colarinho e se levanta... a camera começa a piscar e sair de foco até entrar em pane parando a gravação como se alguma interferencia a destruisse...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://cronichles.forumeiros.com
Leo Rocha

avatar

Mensagens : 64
Data de inscrição : 21/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Sab Dez 03, 2016 8:11 am

Kyo sorri ao receber o beijo no rosto e em seguida troca telefones com ela.
Por fim, ele diz:

Arrow Cuidado por aí, essa cidade à noite pode ser linda, mas também é bem perigosa... Boa sorte para seu amigo!

Ele puxa o capuz até cobrir sua cabeça e rosto e segue andando com um sorriso no rosto. Ajudara alguém, um alguém bem interessante, e pôde se exercitar um pouco.
A noite estava bem interessante e estava apenas iniciando...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nasinbene

avatar

Mensagens : 23
Data de inscrição : 23/10/2016

MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   Seg Dez 05, 2016 10:28 am

A análise no corpo da vitima tinha revelado várias coisas interessantes a Terry... logo de cara, Terry percebe uma impressão digital que não pertence a vítima. Aquilo, somado ao vídeo das câmeras de segurança dariam uma pista da identidade do assassino. E também vinha a confirmar a suspeita original de Bud, de que aquele não era um simples ato de reposição por não pagamento. A imagem da impressão digital paira diante dos olhos de Terry por um segundo, enquanto ele fixa o olhar nela até que a opção de salvar apareça diante da tela. Terry faz uma copia para uma análise posterior no banco de dados da polícia.  Mais adiante, uma trilha de um líquido viscoso se mostrava para Terry. Inodoro, parecia um tipo desconhecido de óleo... Terry longo descarta a idéia de que seria um óleo usado nos bionicos da vítima,  já que aquele era um tipo completamente desconhecido para ele. Terry então vai até Bud, pega um pequeno tubo para provas e colhe uma amostra para analise. Como o olho já havia lhe indicado o que precisava, Terry desliga a função de escaneamento e se aproxima de Bud. Enquanto os legistas cuidavam do corpo,  Terry se encosta num poste próximo e diz a Bud:

- Beleza... você sabia que algo estava errado antes de me chamar aqui. Temos uma impressão digital pra analisar e uma porra de um líquido desconhecido também. Agora, antes de continuar... que merda ce não tá me contando, Bud? Tenho certeza que ce sabe de mais alguma coisa... começa a falar agora ou tô puxando o carro com as provas que ce precisa... e aí, qual vai ser?

Algo estava errado com aquela história... algo que Bud não estava contando... Terry não queria ser o próximo a ter seus bionicos extraídos, por isso precisava estar preparado para tudo...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: NightShade Bar   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
NightShade Bar
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Cronicas Livres  :: Aventuras Diversas :: Area Central-
Ir para: